Loading

Alexandre Melo

am4131557@gmail.com

Desilusão

Isto que sinto,

Diz que minto!

Ao dizer que estou perdido!

Aquela senhorita me faz pensar.

Pensar que, se calhar, não estou certo!

Será que ela tem razão?

Nisto penso e penso e penso,

Mas nunca encontro a resposta!

Talvez, se tentar,

Eu a conquiste outra vez!

Na conversa percebi uma mágoa.

Esta esconde e magoa!

A isto chamo desilusão.

Está desiludida!

Ao me lembrar disto...

Sei de uma promessa,

Que deu nisto!

É estranho o que está a acontecer!

Mas quando penso nela,

Sinto o amor que tenho!

Amor este secreto,

Mas que faz cambalear!

E tem, tem grades a penar!

O rangido das grades,

Traz-me uma melancolia!

Embora, não a demonstre,

É perigosa!

Tanto que pode explodir!

Mas tenho que me controlar,

Senão a senhorita...

Ahh... vai ficar ainda mais desiludida!

E aí não haverá volta a dar.

Vou cambalear!

Mas para o fundo negro da tristeza!

E não só, da solidão também!